Quais são os benefícios do café especial para a saúde?

O consumo moderado, a qualidade do produto e a correta preparação podem fazer do café um importante aliado para o seu bem estar. 

Além de delicioso, um bom café pode trazer muitos benefícios.

O café pode ser um bom aliado no cuidado com a saúde. No entanto, é preciso observar que o consumo de qualquer substância em excesso não é aconselhável. A qualidade do café, desde a escolha dos grãos até a torra, também precisa ser notada. Por isso aqui vamos tratar dos benefícios do café especial porque ele tem um rigoroso controle de qualidade. 

Neste texto serão usadas informações extraídas de dois artigos: O primeiro é  “Benefícios do café na saúde: mito ou realidade?”, das autoras Rita C. Alves, Susana Casal e Beatriz Oliveira. O estudo completo pode ser encontrado na plataforma SciELO (https://rb.gy/j7scvx). Também serão extraídas informações do documento da EMBRAPA. A publicação “O café e a saúde humana”  tem autoria de Ronaldo de Oliveira Encarnação Darcy Roberto Lima e foi publicada em 2003. A íntegra do documento está no portal da empresa (https://horturl.at/jBIU6). 

Estima-se que um grão torrado tenha mais de 2 mil compostos químicos. Por isso a bebida desperta muito a atenção de especialistas, além claro, de vários apaixonados pelo café. A quantidade ideal de consumo de café para um dia é de três a cinco doses. 

O processo de torra é muito importante no processo de produção do café, muitos compostos químicos são gerados nesse processo.

Estimulante

A cafeína é o principal composto psicoativo do café. Em doses pequenas já é possível que uma pessoa apresente uma melhoria em sua capacidade concentração, na energia, no estado de alerta e no desempenho de atividades simples. A substância também pode auxiliar numa maior retenção visual e até mesmo na capacidade auditiva, deixando a pessoa mais alerta e vigilante. Muitas pessoas também se sentem menos cansadas ao tomar o café do dia a dia. Outra coisa que muita gente faz é tomar um “cafezinho” para espantar o sono, e isso acontece mesmo, também com a presença da cafeína. 

Melhora a dor de cabeça

A ingestão moderada de café também pode aliviar um pouco a sua dor de cabeça. Mais uma vez a cafeína aparece aqui como um composto valioso. Você provavelmente já deve ter visto que alguns remédios para a dor de cabeça, como o paracetamol, têm cafeína na composição. Para as dores causadas pela tensão, a ingestão da bebida pode trazer um alívio imediato. Mas sempre fique atento para não exagerar na dose, já que o composto também tem efeito estimulante e pode te deixar mais agitado. 

Perda de peso

Muitos estudos apontam que a ingestão de café pode auxiliar na perda de peso. De fato, como vimos anteriormente o café tem efeito estimulante e quem bebe terá um aumento no gasto enérgico. O estudo “Benefícios do café na saúde: mito ou realidade?” aponta que ao beber 6 xícaras da bebida você pode induzir a perda de até 100 calorias.  

O cuidado em todas as etapas de produção do café interferem nos benefícios do café para a saúde.

Prevenção à asma

A cafeína tem uma ação broncodilatadora e ajuda a reduzir a fadiga dos consumidores. Na pesquisa das autoras das autoras Rita C. Alves, Susana Casal e Beatriz Oliveira ela indicam que estudos relacionados à área respiratória demonstram que a possibilidade de consumidores de café desenvolverem asma é, em média, 30% menor do que aqueles que não têm esse hábito. Os estudos realizados também apontam que o uso moderado pode ajudar a reduzir os sintomas de quem tem asma. 

Benefício ao fígado

O consumo do grão também pode trazer benefícios ao fígado. Aqui além da cafeína, outros componentes (cafestol, kahweol e polifenóis) ajudam a proteger contra o surgimento de cirrose hepática, principalmente a cirrose alcoólica. O uso da bebida também pode estar ligado à prevenção de doenças hepáticas. 

Prevenção à pelagra

A pelagra é doença dos 3Ds (dermatite, diarreia e demência). Aqui fica um registro do artigo Benefícios do café na saúde: mito ou realidade?”A trigonelina, um alcalóide presente no café arábica (1-2%) e no café robusta (~0.7%), é rapidamente degradada durante a torra originando, entre outros compostos, a niacina, também designada por ácido nicotínico, vitamina B3 ou factor PP (esta última designação advém da sua acção farmacológica: PP = “prevenção da pelagra”)

Uma xícara apresenta, em média, 3 mg de niacina. Sendo assim, elas afirmam que o consumo moderado também pode prevenir a doença dos 3Ds

Proteção dos dentes

Na publicação “O café e a saúde humana” os autores apontam um estudo que diz que o ácido clorogênico, a niacina e a trigonelina, presentes no café têm poder antibactericida e anti adesivo. Essas características permitem os autores afirmarem que o café pode prevenir a formação de cáries, que são causadas por bactérias que ficam “coladas” nos dentes. 

Ação antioxidante

Como você leu no início deste texto, o café tem mais de 2 mil compostos químicos. Um deles é o ácido clorogênico. O estudo publicado pela Embrapa afirma que “um terço dos ácidos clorogênicos e 95% dos ácidos cafeicos ingeridos são absorvidos no intestino delgado em humanos e entram na corrente sanguínea. Os autores sugerem que a parte não absorvida poderia ter efeitos biológicos no cólon, como antioxidantes.”

Esse ácido é encontrado em outros alimentos como maçã, pera, espinafre e chás verde e mate. Mas o café é o que possui a maior concentração desta substância. 

O café possui mais ácido clorogênico do que alguns itens tradicionais da dieta humana.

Ajuda contra a depressão

Esse tópico vai falar de algumas ações do café no corpo humano que podem ajudar na prevenção da depressão. Antes de qualquer coisa, é importante ressaltar que qualquer pessoa que apresente algum sintoma relacionado a um quadro depressivo deve procurar um profissional o mais rápido possível. Medicamentos possuem testes constantes que comprovam cientificamente a sua eficácia. 

Dito isso, os autores Ronaldo de Oliveira Encarnação e Darcy Roberto Lima informam sobre outros componentes presentes no café: isômeros da lactona do ácido feruloylquinico. Os estudos aos quais ele tiveram acesso demonstraram que a os testes biológicos de “cada um desses importantes isômeros do ácido quínico (denominados quinídeos) poderiam mostrar mais detalhes e qual desses componentes é o responsável pela ação sobre os receptores opióides, quando o café é consumido. Atualmente, sabe-se que os quinídeos são formados a partir dos ácidos clorogênicos, durante a torra adequada dos grãos verdes de café e que muitos deles possuem uma potente atividade antagonista opióide. Essa parece ser a atividade química cerebral envolvida na modulação do humor e também parece ser responsável pela inibição do desejo exagerado de auto gratificação que pode

estar envolvido no aparecimento da frustração, da depressão (…)” 

Prevenção de doenças degenerativas

A ação antioxidante da cafeína combinada com outros compostos ajudam a proteger os consumidores do produto a reduzir o stress oxidativo celular. Essa proteção já foi acompanhada por estudos e demonstra que o café tem um papel neuroprotetor em relação ao desenvolvimento de Alzheimer, independentemente de outros fatores. O óleo do grão também apresenta o tocoferóis, conhecidos como potentes antioxidantes in vivo, com destaque para o café arábica. Os tocoferóis são insolúveis em água, a sua extração para a bebida depende muito do método de preparação da bebida. Por isso é sempre importante ter atenção na hora de preparar a sua bebida para extrair o máximo de nutrientes possíveis. 

Estudos também apontam que o café pode ajudar a prevenir a doença de Parkinson. No artigo “Benefícios do café na saúde: mito ou realidade?” é apontado que no caso dessa doença, o gênero pode interferir nos resultados. A publicação diz que “num estudo de corte, homens que consumiam pelo menos 3 a 4 xícaras de café por dia apresentavam um risco 5 vezes menor de desenvolver DP, do que os não consumidores. Num outro estudo prospectivo, homens que consumiam diariamente a quantidade de cafeína correspondente a uma xícara de café possuíam um risco 50% menor de desenvolver a doença, não tendo sido encontrada qualquer associação em relação ao consumo de descafeinado. Curiosamente, no mesmo estudo, não foi verificada qualquer associação entre o consumo de café ou cafeína e a DP [doença de Parkinson], no caso das mulheres. Estudos recentes sugerem que, no sexo feminino, esta associação é dependente do uso de estrogéneos como terapêutica de substituição hormonal pós-menopausa. Mulheres que consumiam 4 ou mais doses de café diárias possuíam um risco 50% menor de desenvolver DP do que as não consumidoras. Mas esse efeito benéfico estaria aparentemente impedido se usassem ou tivessem usado terapêutica de substituição estrogénica.

Ainda estão sendo feitos vários estudos em relação ao consumo de café a prevenção de doenças degenerativas, mas esses resultados já são bem animadores para os coffee lovers.

O consumidor também tem que estar atento na preparação para conseguir preservar os componentes presentes no óleo do café.

Café e Saúde

Aqui foram apresentados dados com base em duas publicações, mas o universo do café é muito grande e existem vários estudos e teorias publicadas ou em estudos. Este texto teve a intenção de mostrar os benefícios do produto para a saúde, mas é importante ressaltar que existem algumas indicações de que o grão também pode causar algumas reações adversas em pessoas que tenham alguma condição pré existente em que os componentes do café podem fazer mal. É sempre importante que você procure um nutricionista para acompanhar a sua saúde e a sua resistência a possíveis substâncias. Você pode ler a publicação “Benefícios do café na saúde: mito ou realidade? ”(https://rb.gy/j7scvx) na íntegra para saber de possíveis contraindicações do produto. 

A moderação no consumo também é fundamental. Todo mundo adora aquele “cafézinho” mas o exagero pode causar problemas. Nenhuma substância deve ser ingerida de forma exagerada. O café traz benefícios que podem variar de acordo com o organismo de cada pessoa, mas nunca substitui nenhum tipo de tratamento contra doenças. A cafeína é utilizada em medicamentos com dosagens específicas e testadas cientificamente. 

Como já vimos anteriormente o café tem milhares de componentes e muitos deles são gerados no momento da torra. É muito importante que você considere a qualidade do produto que está consumindo. Essa qualidade pode ser conferida através de certificações ou da relação de confiança com o seu fornecedor. 

Para quem é coffee lover e também quer aproveitar os benefícios do produto além do sabor, do aroma, é super importante que se dê uma atenção especial no momento do preparo. Alguns componentes estão presentes no óleo do café e na hora de preparar você pode perder muito desse óleo se não tiver um cuidado especial. 

Aqui no site da Atilla você encontra uma lista de fornecedores de café que têm controle de qualidade e boa estrutura para a torra do produto. (https://shorturl.at/dnoNT). 

Sempre é bom ter o controle de qualidade do café que você está consumindo.

Por Clóvis Ribeiro